Pôster oficial da mais nova obra cinematográfica da Marvel. | Reprodução Disney

Personagem interpretada por Brie Larson tem uma grande responsabilidade: salvar o mundo e quebrar paradigmas

 

Por Victória Z. Alves

A presença de personagens femininas no mundo dos quadrinhos não é algo novo, entretanto, a representatividade feminina passou um bom tempo sendo inconsistente no mercado cinematográfico. Majoritariamente os personagens eram homens e em posições de liderança, diferentemente dos papéis femininos, que eram secundários e sem grande notoriedade.

Recentemente, a Warner Bros, via DC Comics, obteve sucesso com o filme Mulher Maravilha. Esse sucesso pode ter sido um fator propulsor importante para uma grande mudança no público do Universo Cinematográfico Marvel (MCU), que também escolheu uma mulher para ser protagonista, a Carol Danvers, primeira personagem feminina a ter seu filme solo produzido pelos estúdios da Marvel.

A representatividade da Capitã Marvel está gerando desconforto no público conservador por se tratar de uma mulher que pode ser mais forte que os personagens masculinos do estúdio. Isso, para eles, seria impossível. Alguém se transformar em poeira é verdade? Ou os filmes não são ficção?

A Brie Larson – vencedora do Oscar de 2016 de Melhor Atriz – tem deixado parte do público masculino insatisfeito por causa de seus posicionamentos feministas, de caráter inclusivo sobre mulheres e negros em seu direito igualitário de participar de um projeto importante como o Captain Marvel.

A atriz tem notado que jornalistas e críticos são homens brancos em sua maioria e, em sua opinião, o grupo deveria ser mais diversificado. Essa fala gerou grande repercussão e já existem grupos incentivando um boicote ao filme, o qual não chegou a ser estreado ainda. A artista, que estrelou “Room” em 2015, falou também sobre a importância de toda a imagem de empoderamento e encorajamento feminino nos últimos meses, além de, literalmente, vestir a camisa de sua personagem e mostrar sua rotina com treinos pesados, os quais mostram muita disciplina e força.

Estreando no MCU com salário superior a outras estreias de peso na mesma franquia, como as de Robert Downey Jr., Chris Hemsworth e Chris Evans, Brie tem o que festejar com o valor significativo de U$ 5 milhões e um contrato de sete filmes, sendo dois para o ano de 2019.

A jovem atriz de 29 anos entra em cena em um momento decisivo e defende a representatividade há tanto tempo reivindicada pelo público feminino. Atualmente, no Universo Marvel, há personagens femininas fortes, mas que precisam de uma maior visibilidade, como a Viúva Negra – que já está com filme em fase de produção –, a Feiticeira Escarlate – que possivelmente será trabalhada no serviço de streaming da Disney –, a Shuri e várias outras dentro dos quadrinhos da Marvel Comics, que possuem grande potencial e podem ser mais bem aproveitadas no universo cinematográfico.

Reprodução Marvel

O boicote a filmes que retratam o poder de uma garota não é uma novidade. Aconteceu de maneira similar com a Mulher Maravilha, junto ao fato da Gal, atriz principal, ser de Israel. Apesar de toda a repercussão, o boicote foi superado e o filme é considerado um sucesso de bilheteria.

Em Black Panther, por exemplo, existiram diversas críticas pelo fato do filme apresentar costumes e crenças africanas, unindo a questão de o elenco ser majoritariamente negro. Isso, por conseguinte, repercutiu negativamente deixando explícito a existência do racismo, além da necessidade da realização de filmes com personagens que representem a diversidade do mundo, para que todos sintam-se representados como heróis e fortes, independentes de cor e de gênero.

 

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher é celebrado desde o início do século 20 nos Estados Unidos e Europa. Naquela época, as mulheres lutavam por melhores condições de vida e trabalho. Diferentemente dos tempos atuais, no passado, a luta esteve relacionada às reivindicações, sobretudo, trabalhistas para, enfim, crescer e tornar-se um grande grito de igualdade de gênero e respeito à liberdade de escolha.

O ano de 1975 foi designado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional da Mulher e o dia 8 de março foi adotado como o Dia Internacional da Mulher pela ONU, tendo como objetivo lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, independente de divisões nacionais, étnicas, linguísticas, culturais, econômicas ou políticas.

O tema do Dia Internacional das Mulheres de 2019, de acordo com a ONU Mulheres, é tecnologia e inovação e o subtema é: “Pensemos em igualdade, construção com inteligência e inovação para a mudança”. Espera-se que através dessa mobilização todos possam contribuir para a defesa da igualdade de gênero e empoderamento das mulheres.

O filme “Captain Marvel”, com Carol Danvers no papel de protagonista, tem sua estreia marcada para o dia 7 de março no Brasil. Uma data significativa, pois a estreia faz uma alusão ao Dia Internacional da Mulher. O estúdio pensou no período justamente pela comemoração, além de todo o significado que a película representa. O maior presente de todos é que a personagem é super-heroína, mas não é super sexualizada.

Em diversos países a estreia cai na sexta (8), que é a data da celebração. No Brasil não seria diferente, no entanto, em 2014, a Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec) modificou as datas padrões de estreias nos cinemas brasileiros em prol de estratégias visando, sobretudo, o aumento de público.

 

Ficha técnica

 

Título original: Captain Marvel

Nacionalidade: EUA

Gêneros: Ação, Fantasia

Ano de produção: 2019

Classificação: 12 anos

Elenco: Brie Larson, Samuel L. Jackson, Jude Law, Ben Mendelsohn

Estreia: 07 de março de 2019 (Brasil)

Direção: Anna Boden, Ryan Fleck

Roteiro: Anna Boden, Gene Colan, Liz Flahive, Ryan Fleck, Meg LeFauve, Carly Mensch, Nicole Perlman, Geneva Robertson-Dworet, Roy Thomas

Produção: Stan Lee, Kevin Feige, Victoria Alonso, Louis D’Esposito, Mary Livanos, Jonathan Schwartz, Lars P. Winther

Estúdio: Marvel Studios

Distribuição: Walt Disney Studios Motion Pictures

Sinopse: A história acompanha Carol Danvers conforme ela se torna uma das heroínas mais poderosas do universo no momento em que a Terra se vê no meio de uma batalha galáctica entre duas raças alienígenas. Ambientado nos anos 1990, Capitã Marvel é uma aventura completamente nova de um período nunca visitado da história do Universo Cinematográfico da Marvel.