Projeto Fazedoras realiza primeiro encontro na UFRN

0
104
Foto: Ricarla Nobre

Por Sthefanny Ariane

Falar de mulheres em cargos de influência aparenta ser uma realidade distante, mas não é. O mundo está mudando, as mulheres cada vez mais estão se qualificando profissionalmente e discutir sobre o empoderamento feminino no mercado de trabalho é importante para que a igualdade seja atingida. É a partir dessa necessidade que o encontro “Fazedoras – Diálogos sobre nossas potências” realizou sua primeira edição no dia 16 de agosto, no Centro de Ciências Humanas Letras e Artes da UFRN.


Idealizado pela cantora Thabata Lorena e produzido pela filósofa, educadora e produtora cultural Juliana Ataíde, o projeto reuniu mulheres dispostas a compartilhar suas vivências e incentivar outras a buscarem espaço em ambientes historicamente masculinizados. Para isso, contou com uma programação de 6h, dividida em feira, mostra de curtas, apresentações, relatos de experiência e palestra.

Levando música e movimento para o ambiente acadêmico, o encontro mostrou através de debates o que as mulheres estão produzindo de bom e importante para a economia. “Queremos falar com intelectuais, acadêmicas, costureiras, artistas, cineastas, repórteres… e criar uma rede para dialogar o impacto das nossas produções, força e militância, adquirindo um pouco mais de espaço no patrimônio intelectual feminino, além de transformar e produzir saberes”, afirmou Thabata.

Foto: Ricarla Nobre

Nimba, 28, participou do evento que proporcionou um ambiente de união no qual as mulheres puderam se sentir acolhidas para discutir seus direitos em exercer suas funções, comentou: “Vim para conhecer histórias de mulheres fazedoras e estimular outras que estão no dia a dia empreendendo, não só produtos, mas também idéias. Pois, é importante para nós mulheres encontrar força e alicerce em relatos parecidos”. Ela diz que a experiência funcionou como combustível para seguir produzindo, porque encontrou força na coletividade e na troca de histórias semelhantes.

O projeto que começou pela UFRN, segue agora para Recife no dia 21, em uma edição especial em parceria com o projeto Terça Negra e instituições federais. E encerra o piloto no nordeste no dia 23 de agosto, em João Pessoa. Um ponto de partida para construírem bases para o projeto nacional que pretendem executar em 2019.

 

Programação do dia 21 no Núcleo de Cultura Afro em Recife:

 

  • Vivência – Mulheres que dançam das 14h às 16h;
  • Feira/mostra de produtos fazedoras no Pátio São Pedro a partir das 16h50;
  • Palestra: produção e empreendedorismo. Como me sinto na cadeia econômica produtiva? das 18h às 19h;

 

Shows da Terça Negra no Pátio São Pedro:

 

  • 19h30 Afoxé, Exu e Elegbara;
  • 21h Show da Thabata Lorena em homenagem a Marielle;
  • 22h encerramento com Coco Santigo;